UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Laboratório de Ideação estimula a inovação e o empreendedorismo

Data: 18 de abril de 2017

O Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) promoveu, nos meses de março e abril, a primeira edição do Laboratório de Ideação, uma iniciativa que tem o objetivo de criar, desenvolver e validar ideias de negócio.

 

O projeto surgiu para suprir uma demanda no mercado de start-ups, que, de acordo com o conceito da revista Exame, são empresas inseridas em um ambiente de incertezas, com um modelo de negócio escalável e repetível.

 

Laboratório de Ideação (Foto: Victor Alexsander).

Laboratório de Ideação (Foto: Victor Alexsander).

Segundo o gerente de empreendedorismo da UFJF, Leonardo Frossard, muitos empreendedores – entre alunos, professores e até inventores independentes -, buscam o apoio da instituição para validar suas ideias e, inicialmente, não havia nenhuma solução que fosse desenvolvida exclusivamente para este público: “o plano surge para contribuir com o desenvolvimento desse mercado”, afirma.

 

Este foi o caso da assistente social, Vera Lúcia Lopes, de 61 anos. Vera conta que já possuía um negócio no ramo alimentício desde 2014 e, a partir de então, vinha buscando uma formação no Critt para aprender a conduzir melhor a empresa. Mesmo não sendo uma empreendedora da modalidade start-up, ela garante que Laboratório de Ideação foi uma boa oportunidade de se profissionalizar ainda mais. Questionada sobre a maior lição que aprendeu, ressalta: “Não podemos criar nada sem planejamento”. 

 

Além de Vera, o Laboratório recebeu outras três ideias, todas no ramo da tecnologia. Foi o exemplo do mestrando em Odontologia, Jairo Barros Weiss, 37 anos, que desenvolveu uma solução para otimizar a precisão em exames radiológicos; o aluno do Instituto de Artes e Design da UFJF, Gabriel Cunha, 20, que pretende expandir horizontes através de uma plataforma eu consiga ligar boas ideias à boas empresas e do graduando de Engenharia Elétrica, Emanuel Flávio de Almeida, 20, que busca acabar com o desperdício de alimentos através de um aplicativo que liga compradores
e vendedores de comida.

O Centro avalia como positivo o fato de receber a primeira turma com faixa etária, formação e interesses diferentes, pois isso ajuda na validação das ideias. “Muitas vezes um acaba sendo público-alvo do outro”, comenta Leonardo Frossard que complementa “as soluções são sempre discutidas em conjunto”, demonstrando a unidade que o Laboratório representa. 

 

Da ideia ao negócio

 

O Laboratório de Ideação é composto de quatro etapas, uma para cada semana de duração do evento, indo desde a Geração de Ideias até um Mínimo Produto Viável, passando entre o aprofundamento dos Perfil dos Clientes e a Validação das Ideias. Ainda segundo Frossard, todas essas fases são necessárias para que os futuros empreendedores tenham uma visão clara do potencial e dos riscos do negócio: “tudo começa na pesquisa, só depois disso é que vamos para a fase do desenvolvimento e, por fim, a validação dessas ideias”, completa.

 

A expectativa do Critt é que os empresários, munidos da preparação necessária, invistam agora em suas ideias e contem com a instituição para outras demandas no futuro. 

 

Mais informações em: http://bit.ly/labideacao

Veja mais fotos em: http://bit.ly/2oJpHIP

Compartilhe: