UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Resultados

Você está em: Projetos > Competências Midiáticas > Crianças e adolescentes > Resultados

Ensino Fundamental

 

A pesquisa foi realizada com 502 alunos, entre 9 e 12 anos, do ensino fundamental de seis cidades brasileiras. Entre elas: Brasília (DF), Florianópolis (SC), Juiz de Fora (MG), Ponta Grossa (PR), São Paulo (SP) e Sorocaba (SP). Em Brasília foram aplicados 121 questionários, em Florianópolis 123, em Juiz de Fora 104, em Ponta Grossa 101, em São Paulo 1 e em Sorocaba 51.  O questionário era composto por 23 questões com a finalidade de compor um perfil dos alunos e avaliar a competência midiática entre crianças do ensino fundamental. Após a aplicação presencial do questionário nas escolas as respostas obtidas foram organizadas em uma planilha no Excel, no formato CSV (Comma-Separated Values). e posteriormente realizamos a sistematização dos dados no software R. Em Brasília foram aplicados 121 questionários, em Florianópolis 123, em Juiz de Fora 104, em Ponta Grossa 101, em São Paulo 1 e em Sorocaba 51. Houve 502 respondentes, mas 1 não especificou a cidade sendo impossível garantir que seja do território brasileiro.

O questionário foi dividido em duas fases. A primeira parte era composta por 7 perguntas relacionadas ao perfil do aluno, como, por exemplo: idade, sexo, escola, cidade, etc. Já a segunda parte era constituída de 16 questões direcionadas para as dimensões da competência midiática. São elas: linguagem, tecnologia, processos de interação, processos de produção e difusão, ideologia e valores e estética.

A partir da sistematização dos questionários, podemos destacar como os alunos decidem qual site usar, quando precisam acessar alguma informação. Nesta pergunta os respondentes poderiam escolher dois critérios em que se baseassem mais frequentemente. A opção mais mencionada foi “Consulta os sites recomendados por outros (professores, familiares, colegas)” (131), seguido de “Escolho os sites em que é fácil navegar” (126) e “Consulto as primeiras hiperligações (links) que aparecem” (112). Parte dos respondentes declararam não recorrem à internet para realizar algum trabalho escolar, houve apenas 105 menções. Sites com aparência agradável e que contêm as fontes da informação dada, aparecem respectivamente com 58 e 54 menções. Portanto é notado que a confiabilidade da informação está ligada a indicação de terceiros, não interessando a fonte da informação ou a data da postagem.

Outra questão pedia aos alunos que assinalassem do que mais gostam no anúncio exibido. Quando questionados sobre o anúncio da marca de biscoitos Oreo, a maioria (58,88%) marcou a opção “Gosto da Oreo, porque é saborosa” seguido da opção “Gosto do efeito visual, resultante da forma como os elementos estão organizados.” (25,15%).  Para a próxima pergunta foi exibido uma imagem de um anúncio da rede de lanches Mc Donalds, em seguida a pergunta pedia que os alunos apontassem o que mais gostam na imagem. A maioria marcou a opção “Gosto do Mcdonalds porque os seus produtos são saborosos” (49,90%) seguido da opção “Gosto do efeito visual que resulta da utilização das batatas para referir que há acesso à internet sem fios” (35,13%). Sendo assim, respondentes de 9 a 12 anos consideram que os valores estéticos pouco contribuem para sua experiência com o produto, sendo mais relevante a vivência com o mesmo.

 

Ensino Médio

 

A pesquisa foi realizada com 499 alunos, entre 14 e 16 anos, do ensino médio de seis cidades brasileiras. São elas Brasília (DF), Florianópolis (SC), Juiz de Fora (MG), Ponta Grossa (PR), São Roque (SP) e Sorocaba (SP). O questionário, hospedado no Google Forms, era composto por 27 perguntas abertas e de múltipla escolha, e tinha o objetivo de traçar o perfil dos estudantes e avaliar o desenvolvimento da competência midiática. Após a aplicação do questionário nas escolas, de forma presencial e com o acompanhamento da equipe do projeto, as respostas obtidas foram organizadas em um arquivo do Excel, posteriormente, realizamos a sistematização dos dados no software R.

Antes de analisarmos os resultados da pesquisa é importante detalharmos o modo como as perguntas foram estruturadas. O questionário foi dividido em duas etapas, inicialmente o aluno respondia nove perguntas relacionadas ao seu perfil como, por exemplo, sexo, idade, cidade, escola, etc. Em um segundo momento, as questões eram direcionadas para as dimensões da competência midiática. Nesse sentido, cada uma das seis dimensões (linguagem, tecnologia, processos de interação, processos de produção e difusão, ideologia e valores e estética) abarcou três perguntas, totalizando 18 questões. 

A partir da sistematização dos questionários, podemos destacar que quando questionados se tinham recebido algum tipo de formação para entender e/ou produzir conteúdos audiovisuais (filmes, vídeos, etc.) 78,16% dos alunos responderam que sim e apenas 21,84% respondem que não. Segundo a pesquisa 39,28% afirmaram que aprenderam sozinhos (autodidata) o processo de produção conteúdos audiovisuais. O restante adquiriu a formação com a ajuda de amigos, familiares, professores e em workshops.

Foi perguntado aos estudantes quais palavras eles escreveriam em um site de busca (Google, Bing, etc.) para pesquisar as etapas literárias de Gabriel García Márquez. Segundo o questionário, 37,88% dos jovens marcaram a opção Etapas literárias Gabriel García Márquez e 34,27% optaram por segmentar a buscar usando as aspas (“”) entre os termos de busca “As etapas literárias de Gabriel García Márquez”. Quando questionados se usam softwares e/ou aplicativos para editar imagens 54,91% responderam que sim. Dessa forma, podemos concluir que os respondentes tem compreensão critica do ambiente digital e conseguem editar imagens através de programas.

Quando questionados se já tinham visto alguma mensagem/post online (sites, redes sociais, etc.) que merecesse ser denunciada 48,90% dos estudantes afirmaram que já tinham visto e denunciado, 32,26% nunca tinham visto postagens deste tipo e 18,84% tinham visto, mas não sabiam como denunciar. Com base nas métricas, podemos ressaltar que os alunos reconhecem as mensagens inadequadas e sabem como agir diante delas.

Grupo de Pesquisa Comunicação, Arte e Literacia Midiática