UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Registro Especial

Você está em: Cdara > História da Cdara > Registro Especial

Em abril de 1975 a Universidade recebeu a visita do Prof. Rudolph P. Atcon, Especialista Principal – Educação Superior , da Organização dos Estados Americanos, acompanhado do Dr. Simon Espinosa Cordeiro , Diretor do Departamento de Planejamento da Universidade Católica do Equador e mais dois Professores da mesma Universidade. Após sua visita , a Secretaria Geral recebeu o seguinte ofício:

 

“ Washington, D.C., 14 de maio de 1975

Muito apreciado Senhor Ventura

De volta à washington e. por fim, com tempo para dedicar-me à minha correspondência pessoal, quero expressar-lhe minha satisfação e meus agradecimentos pelo vi na sua “Secretaria Geral”, isto é , no seu Registro Central que me impressionou mesmo. Vou querer saber mais, no futuro dos detalhes de seu sistema que, do que pude depreender aquela manhã da nossa visita com os ilustres visitantes do Equador, parece corresponder às necessidades do momento, e não só para a UFJf.

Meus parabens e até o próximo encontro.

Cordialmente

Professor Rudolph P.Atcon.

 

Em 15 de abril de 1975, o mesmo Dr.Simón Espinosa Cordeiro oficiou a Universidade, externando sua enorme impressão com a com a praticidade, funcionalidade e eficiência do sistema implantado na UFJF.

 

O sistema de Registro Acadêmico, sob a responsabilidade do Departamento de Registros e Assuntos Acadêmicos – DARA, foi apresentado em Seminários realizados em Viçosa, Belo Horizonte e Brasília. Em todas as apresentações foi elogiado e sem maiores críticas. Por indicação do Prof. Arcélio Santin, à época Secretário Executivo do Ministério da Educação, o Titular do DARA implantou o sistema nas Faculdades Integradas de Uberaba – FIUBE.

 

Sempre com uma visão de futuro, os gestores do setor de registro acadêmico sempre propugnaram pela eficiência, modernização e agilidade das atividades a fim de prestar o melhor serviço possível aos usuários, em especial aos alunos.

 

Em 1970 foram dados os primeiros passos para informatização do registro acadêmico, sendo a ela estendida aos processo seletivos. Já naquela época o ganho em eficiência e tempo eram significativos, ficando a execução e gestão dos softweire sob a responsabilidade do Centro de Processamento de Dados, que sempre trabalhou em parceria com o DARA e, agora, a CDARA.

 

Em 1991 foi informatizado o serviço de protocolo interno, dando mais agilidade e segurança no trâmite documental. O modelo foi nominado de Serviço de Automação Universitária.

 

Em 1994, um trabalho pioneiro nas universidades foi desenvolvido pela Divisão de Registros Acadêmicos, ao informatizar o serviço de registro de diploma, desenvolvendo um softimplantando uma rede novell local, Com a medida foi possível um ganho substancial de tempo, proporcionado uma redução do prazo médio de registro de diplomas de seis para dois meses, na média. Outro benefício foi, a partir de 1998, a entrega do diploma no ato da colação de grau, beneficiando todos os alunos da UFJF. Além disso, hoje os diplomas de outras instituições são registrados com prazo médio de trinta dias.

 

A medida serviu de referência para inúmeras universidades que adotaram o modelo ou desenvolveram programas semelhantes.

 

Em 1999, com a expansão quantitativa do corpo discente em função da ampliação das vagas e do número de cursos, a UFJF adquiriu o software Lyceum da empresa Techne, utilizando-o até 2002.

 

Em 2003 do Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional desenvolveu um software próprio para a UFJF, o qual atende todas as demandas da UFJF. O sistema foi denominado SIGA – Sistema de Gestão Acadêmica, que também serviu de referência para outras instituições, inclusive para o próprio MEC, que o recomendou a outras Universidades Federais.