Clipping UFJF – 16, 17 e 18 de Novembro de 2015

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 18/11/2015

Link: http://www.tribunademinas.com.br/ufjf-tera-lista-triplice-em-60-dias/

UFJF terá lista tríplice em 60 dias

O vice-reitor no exercício da Reitoria UFJF, Marcos Chein, se reuniu ontem com o Conselho Universitário (Consu) para formalizar a renúncia do agora ex-reitor Júlio Chebli, que entregou carta com pedido de desligamento na última segunda-feira. O documento será enviado ao Ministério da Educação (MEC) na manhã de hoje. Chein garantiu a continuidade dos processos institucionais até que seja escolhido o novo nome que irá assumir oficialmente a universidade. O Consu terá 60 dias para a indicação de uma lista tríplice ao MEC, contados a partir da publicação da exoneração de Chebli no Diário Oficial da União. Chein, que é professor da Faculdade de Direito, adiantou que não pretende concorrer à Reitoria, mas ressaltou que não irá se desfazer do cargo de vice-reitor.

“Não pretendo desfazer da vice-reitoria. Tenho um compromisso moral e cívico com esse mandato. As pessoas me elegeram, confiaram em mim e vou terminar o mandato de vice-reitor seja lá quando for. É importante dizer que não há renúncia do vice-reitor. Não tenho motivos para renunciar, mas tenho motivos para continuar liderando a UFJF para que não haja um vácuo de poder e uma crise institucional grave”, destacou, em coletiva à imprensa. A fala de Chein é emblemática, pois ventila-se a possibilidade de o Consu indicar a lista tríplice apenas para o cargo de reitor, sem que seja necessária a indicação de um novo vice.

Chein assegurou ainda que os pró-reitores que estavam no cargo serão mantidos, à exceção do professor da Faculdade de Economia Alexandre Zanini, que ocupava, até o último dia 13, a pasta de Planejamento e Gestão. “O pró-reitor de Obras, Rubens Oliveira, assumiu interinamente para que os processos não sejam interrompidos. Estou trabalhando para encontrar um substituto e rearranjar a equipe”, esclarece.

O orçamento da UFJF para o ano de 2016 não deverá sofrer impactos. Segundo o vice-reitor em exercício da Reitoria, Zanini teria encerrado o processo de elaboração do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA). A proposta agora depende da aprovação pela Câmara dos Deputados. “Terei um tempo para nos apossar dessas informações mais específicas e entender como as rubricas foram divididas”, explica, referindo-se aos recursos destinados ao custeio, entre eles o pagamento de bolsas. Chein ainda assegurou o andamento das obras com contratos já pactuados.

Transparência

Questionado em relação às cobranças por mais transparência no exercício da função administrativa, Marcos Chein garantiu que irá exercê-la, mas afirmou ser necessário cobrar isso dos novos candidatos. “É muito fácil falar de transparência, mas difícil colocar em prática se não houver respeito, o mínimo de diálogo. A questão da transparência tem soado, muitas vezes, de forma muito demagógica. Vamos pensar sobre o tipo de universidade que queremos construir para os próximos anos. É preciso o respeito ao diálogo. Não adianta falar em publicidade, em transparência, quando se quer falar apenas aquilo que lhe interessa enquanto indivíduo”, sentenciou.

—————————-

Veículo: Portal Africas

Editoria: –

Data: 18/11/2015

Link: http://www.portalafricas.com.br/v1/campanha-quantos-professores-negros-voce-tem-e-lancada-pela-ufjf/

Campanha “Quantos professores negros você tem?” é Lançada pela UFJF

A partir de hoje,  dia 17, a Diretoria de Ações Afirmativas da UFJF realizará  uma série de eventos propondo reflexão profunda   no que diz respeito a aplicabilidade das  Leis 10.639/03 e 11.645/08   na educação  básica  e  superior e fara o lançamento da campanha “Quantos professores negros você tem?”, provocando a discussão sobre as desigualdades.
O Objetivo central  desta  atividade  não é só  celebrar  a resistência na  manutenção da cultura do negro, mas também fazer  o  debate  da inclusão de forma efetiva e permanente  nos currículos dos cursos.
 
“Nós vamos fazer uma série de debates não só com os alunos da licenciatura e do bacharelado, mas também com os professores.   Apenas lembrar  da cultura e dos valores da população negra não é suficiente. No mês da consciência negra é preciso ir além, principalmente dentro da Universidade”. Afirma a diretora de Ações Afirmativas da UFJF, Carolina Bezerra .
 
As atividades acontecerão em diversas unidades acadêmicas e terão formato de mesas redondas, rodas de conversas e palestras . A  abertura  acontecerá hoje 17, às 13h, na Faculdade de Engenharia, prédio Eng. Itamar Franco. Sala: 5217.  
A  parte cultural, estão previstas mostras de cinema e fotográfica.
 A programação completa, que se estende até dezembro, será publicada na página www.ufjf.br/diaaf.

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 17/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/novo-reitor-da-ufjf-diz-que-quer-garantir-manutencao-de-prioridades.html

Novo reitor da UFJF diz que quer garantir manutenção de prioridades

Os membros do Conselho Superior (Consu) da Universidade Federal de Juiz de Fora se reuniram na tarde desta terça-feira (17) e aceitaram o pedido de renúncia à Reitoria do professor Julio Chebli, já anunciado na última segunda-feira (16).

De acordo com o vice-reitor, Marcos Chein, a prioridade do mandato é garantir que as atividades da UFJF sejam mantidas. “O mais importante mesmo é manter a tranquilidade, a serenidade e a segurança das relações que já foram assumidas anteriormente, acho que o nosso papel é continuar caminhando para dar essa tranquilidade para toda a sociedade”, disse.

Para Chein, o apoio do Ministério da Educação (MEC) será essencial nos próximos meses.“Os contratos, bolsas, tudo o que já foi pactuado está devidamente empenhado e vamos continuar lutando no MEC, no sentido de conseguir esse apoio financeiro para que esses compromissos sejam respeitados”, afirmou.

Um novo processo eleitoral vai acontecer 60 dias depois que o MEC publicar oficialmente a renúncia de Chebli.

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 17/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/ufjf-realiza-eventos-e-cria-campanha-no-mes-da-consciencia-negra.html

UFJF realiza eventos e cria campanha no mês da Consciência Negra

A partir desta terça-feira (17) até 9 de dezembro a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) realiza uma série de eventos para lembrar da cultura e dos valores da população negra. Além disso, no mês da Consciência Negra, a universidade promove discussões, propõe reflexões e lança a campanha “Quantos professores negros você tem?”. 

Segundo a diretora de Ações Afirmativas da UFJF, Carolina Bezerra, a intenção é envolver alunos e professores. Dentro da programação, ela mencionou ainda a criação de um grupo de corporeidades afro-brasileiras, que trabalha capoeira, maculelê, samba de roda e jongo.

De acordo com ela, a marginalização e o preconceito não é só a partir da cor da pele, ela também está relacionada aos valores civilizatórios. “Temos que fazer com que o mês da Consciência Negra discuta a igualdade entre os valores europeus, africanos e indígenas. Isso pode ser muito rico para a sociedade brasileira”, afirmou.

Os eventos serão realizados em diversas unidades acadêmicas. A palestra de abertura “As universidades brasileiras e as ações afirmativas” será nesta terça-feira (17), às 13h, na Faculdade de Engenharia. Voltada para a formação dos professores, uma mesa-redonda no Colégio de Aplicação João XXIII debate avanços, desafios e perspectivas para a implementação das leis na educação básica. Já na parte cultural, estão previstas mostras de cinema e fotografia.

Para o professor da Faculdade de Letras Edimilson de Almeida Pereira, quando a universidade aborda aspectos violência e racismo, cumpre seu papel como instância de reflexão teórica desses temas. “A campanha reforça, através de uma data específica, temas que, na verdade, são recorrentes na vida prática, e que afetam uma grande parte da sociedade brasileira”, afirmou. 

Para o professor, premiado escritor e com estudos ligados à diáspora africana, a universidade deve se debruçar sobre dados históricos e estatísticos e buscar fortalecer os movimentos sociais.

Confira a programação completa do evento no site da UFJF.

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Política

Data: 17/11/2015

Link: http://www.tribunademinas.com.br/marcos-chein-assume-a-reitoria-da-ufjf/

Marcos Chein assume a reitoria da UFJF

No exercício da reitoria após a renúncia do professor Júlio Chebli, o vice-reitor Marcos Chein garantiu nesta terça-feira (17) a continuidade dos processos em andamento na UFJF, a fim de evitar um “vácuo de poder e uma crise institucional”. Ele conduziu a reunião do Conselho Universitário durante a tarde, onde foi lida a carta de renúncia do reitor e acatado o pedido de Chebli.

Segundo Chein, o documento será enviado ao Ministério da Educação (MEC) para a publicação da exoneração nos próximos dias. A partir de então, começa a contar o prazo de 60 dias para a realização de uma nova consulta acadêmica para eleger o novo reitor e indicação do Conselho Universitário, a partir de uma lista tríplice.

“O importante é continuar trabalhando para que a engrenagem da Universidade não pare. Eu acho que há compromissos que precisam ser respeitados, compromissos eleitorais que precisam ser mantidos. Sempre atuei em vários momentos de crise com o reitor, podemos levar com tranquilidade, com serenidade e com respeito a esse processo democrático de sucessão”, disse.

Chein também confirmou a continuidade dos pró-reitores até o fim do prazo de 60 dias, exceto o professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Alexandre Zanini, que foi exonerado do cargo na última sexta-feira (13), alegando razões pessoais. Em seu lugar, assumiu de forma interina o pró-reitor de Obras, Sustentabilidade e Sistemas de Informação, Rubens Oliveira.

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 17/11/2015

Link: http://www.tribunademinas.com.br/ufjf-promove-eventos-e-campanha-no-mes-da-consciencia-negra/

UFJF promove eventos e campanha no Mês da Consciência Negra

Em celebração ao Mês da Consciência Negra, a Diretoria de Ações Afirmativas da UFJF realiza, até o próximo mês, uma série de eventos com o objetivo de promover a reflexão sobre a cultura e os valores da população negra, em especial no que diz respeito à educação. Na ocasião, a UFJF lança a campanha “Quantos professores negros você tem?”, que visa a provocar a discussão sobre a desigualdade. Na parte cultural, estão previstas mostras de cinema e fotografia.

“O Mês da Consciência Negra vai buscar não só enaltecer, valorizar e positivar a cultura do negro, mas também fazer uma discussão para que isso seja incluído no currículo dos cursos de forma permanente”, explicou a diretora de Ações Afirmativas da UFJF, Carolina Bezerra. Ela se refere às leis 10.639/03 e 11.645/08, que estabelecem a obrigatoriedade do ensino de aspectos das culturas afro-brasileira, africana e indígena em todas as escolas públicas e particulares do Brasil. “Nós vamos fazer uma série de debates não só com os alunos da licenciatura e do bacharelado, mas também com os professores”, completa.

Dentro da programação, Carolina Bezerra menciona ainda a criação de um grupo de corporeidades afro-brasileiras, que trabalha capoeira, maculelê, samba de roda e jongo. “A marginalização e o preconceito com relação a esses grupos não é só a partir da cor da pele, ela também está relacionada aos valores civilizatórios desses grupos. Temos que fazer com que o Mês da Consciência Negra discuta a igualdade entre os valores europeus, africanos e indígenas. Isso pode ser muito rico para a sociedade brasileira”.

Nesta quarta-feira (18), acontece uma mesa redonda sobre afrodescendência e periferia na literatura brasileira e outra com o tema “A margem como utopia: a ginga na poesia de Allan da Rosa”, com professores da Faculdade de Letras. Já na sexta-feira (20), às 14h, será realizado um painel de debate, com Caroline Bezerra e professores da Faculdade de Educação, além de uma discussão sobre injúria racial na sede do Sintufejuf.

Mês da Consciência Negra na UFJF

ABERTURA DO EVENTO

17|11 Terça-feira – 13h

Palestra de abertura- A Universidade Brasileira e as Ações Afirmativas

Profa. Dra. Carolina dos Santos Bezerra (Diretora de Ações Afirmativas/UFJF)

Local: Faculdade de Engenharia – Prédio Eng. Itamar Franco. Sala: 5217

 

18|11 Quarta-feira – 19h

Mesa redonda: Questões sobre afrodescendência e periferia na literatura brasileira

Temas e problemas da Literatura Negra e/ou Afro-brasileira

Prof. Dr. Edimilson de Almeida Pereira (Faculdade de Letras/UFJF)

 

A margem como utopia: a ginga na poesia de Allan da Rosa

Prof. Dr. Alexandre Graça Faria (Faculdade de Letras/UFJF)

 

LANÇAMENTO DE LIVROS:

Modos da margem – figurações da marginalidade na literatura brasileira

Organizadores: Alexandre Faria / João Camillo Penna / Paulo Roberto Tonani do Patrocínio. Editora: Aeroplano, 2015
O Atlântico em movimento: signos da diáspora africana na poesia contemporânea de língua.

Autora: Prisca Agustoni, Belo Horizonte: Mazza Edições, 2013
Um tigre na floresta de signos: estudos sobre poesia e demandas sociais no Brasil

Organização: Edimilson de Almeida Pereira. Belo Horizonte: Mazza Edições/ PPG Letras-UFJF, 2010.

Local: Anfiteatro da Faculdade de Letras da UFJF.

 

 

20|11 Sexta-feira – 14h

PAINEL DE DEBATE: 20 de Novembro – Mês da Consciência Negra

As Ações Afirmativas no Ensino Superior: Avanços e Perspectivas

Profa. Dra. Carolina dos Santos Bezerra (Diretora de Ações Afirmativas/UFJF)

 

Política de ação afirmativa para ingresso nos cursos de graduação da UFJF.

Prof. Dr. Eduardo Magrone. (Faculdade de Educação/UFJF)

 

Desconstruindo o imaginário ocidental sobre o negro

Prof. Dr. Julvan Moreira de Oliveira (Faculdade de Educação/UFJF)

 

Injúria Racial e Crime de Racismo

Dr. Sérgio Ricardo (Sintufejuf)

Local: Sede Administrativa do Sintufejuf. Rua Santo Antônio, 309

 

23|11 Segunda-feira – 19h

Mesa Redonda: A implementação da Lei 10.639/03 e 11.645/08 na Educação Básica

O ensino de História da África na Educação Básica

Profa. Dra. Fernanda Thomaz (Instituto de Ciências Humanas/UFJF)

 

Avanços e desafios na implementação da Lei 10.639/03 e 11.645/08

Prof. Dr. Julvan Moreira de Oliveira (Faculdade de Educação/UFJF)

 

Local: Auditório do Colégio de Aplicação João XXIII da UFJF

 

24|11- Terça-feira – 13h

Palestra “ A Identidade Nacional e as Relações Raciais”

Prof. Dr. Julvan Moreira de Oliveira (Faculdade de Educação/UFJF)

Local: Faculdade de Engenharia – Prédio Eng. Itamar Franco. Sala: 5217

 

24|11- Terça-feira – 19h

Mesa-Redonda: Religião, Política e Justiça

Teocracia constitucional e a cena política brasileira: o avanço da religião sobre o campo jurídico

Profa. Joana de Souza Machado (Faculdade de Direito/UFJF)

Geograficidades do sagrado vivido afro-brasileiro: Território, Liberdade e Justiça

Prof. Leonardo Carneiro (Pró-Reitor de Extensão/UFJF)

Local: Auditório da Faculdade de Direito/UFJF

 

25|11 Quarta-feira – 19h

Mesa Redonda: Religiões Afro-Brasileiras, saúde, corpo e racismo

Religiões Afro-brasileiras, Saúde da População Negra e os efeitos psicossociais do racismo

Profa Dra. Sônia Regina Corrêa Lages (Instituto de Ciências Humanas/PPCIR/UFJF)

 

Protestantismo e Religiões Afro-Brasileiras: Corporeidades Afro-Diaspóricas

Profa Dra. Elisa Rodrigues (Instituto de Ciências Humanas/PPCIR/UFJF)

 

Local: Anfiteatro 1 do Instituto de Ciências Humanas

 

27|11 Sexta-feira – 14h

Mesa Redonda: A Cultura da Violência e a Morte de Jovens Negros e Pobres no Brasil

Deputado Federal Reginaldo Lopes

Deputado Estadual Cristiano Silveira

Local: Câmara Municipal de Juiz de Fora

30|11 Segunda-feira – 19h

Mesa Redonda: Traços de Africanidade na Música Brasileira

Africanias na Canção Brasileira de Câmara

Prof. Dr. Marcus Vinícius Medeiros Pereira (Instituto de Artes e Deseign/Música/UFJF)

Profa. Dra. Andrea Albuquerque Adour da Câmara (Escola de Música/UFRJ)

 

Apoteose ao Samba

Prof. Dr. Carlos Fernando Ferreira da Cunha Junior (Faculdade de Educação Física/UFJF)

Local: Auditório do Instituto de Artes e Design

 

01|12 Quarta-feira – 14h

Roda de Conversa: A inclusão do tema das Relações Étnico-Raciais no currículo e no processo de formação do Serviço Social.

Profa Dra. Roseli da Fonseca Rocha (IFF / FIOCRUZ)

 

09|12 Quarta-feira – 9h

Roda de Conversa: A inclusão do tema da saúde da população negra no curso médico.

Dr. Marcelo Campos (Médico do “Estratégia de Saúde da Família” e Coordenador do Programa “Ciranda Cidadã” da Prefeitura de Juiz de Fora)

Profa. Giane Elisa Sales de Almeida (Supervisora de Promoção de Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora)

Anfiteatro da Faculdade de Medicina

 

3ª Semana da Igualdade Racial e Questão Agrária

De 02/12 a 04/12

Debates e minicursos

Locais:

Faculdade de Administração e Ciências Contábeis

Faculdade de Educação

Faculdade de Serviço Social

IF Sudeste MG

 

Programação Cultural

Mostra de Cinema

O negro em movimento

 17 a 20 de Novembro

Local: Universidade Federal de Juiz de Fora

 

17|11 Terça-feira – 19h

Tema: O negro fabula a própria história

Filme: Branco Sai, Preto Fica | Dir. Adirley Queirós | 1h33min

Mediação: Profa. Dra. Karla Holanda (IAD/UFJF)

Comentários: Guilherme Landim (Fotógrafo e Cineasta)

Local: Instituto de Artes e Design | Sala de Cinema Germano Alves

 

18|11 Quarta-feira – 15h

Tema: O negro resiste

Filme: Quilombo | Dir. Cacá Diegues | 1984 | 2h

Mediação: Prof. Dr. Cristiano Rodrigues (FACOM/UFJF)

Local: Auditório da Faculdade de Educação

 

19|11- Quinta-feira – 15h

Tema: A mulher negra se olha no espelho

Filme: Filhas do Vento | Dir. Joel Zito Araújo | 2004 | 1h25min

Mediação: Profa. Dra. Carolina dos Santos Bezerra. (Diretora de Ações Afirmativas/UFJF)

Comentários: Profa Adenilde Petrina (Filósofa, Historiadora/Coletivo Vozes da Rua)

Debate com o diretor Joel Zito Araújo (Diretor – Casa de Criação Cinema)

Local: Auditório da Faculdade de Educação

 

19|11- Quinta-feira – 19h

Tema: O negro vai à luta

Filme: Raça | Dir. Joel Zito Araújo | 2013 | 1h44min

Debate com o diretor Joel Zito Araújo (Diretor – Casa de Criação Cinema)

Local: Auditório da Faculdade de Educação

 

20|11- Sexta-feira – 18h

Tema: O negro sendo o que deseja ser

Curta-metragem: Casa Forte | Dir. Rodrigo Almeida | 11 min | 2013

Filme: Madame Satã | Dir. Karim Aïnouz | 2002 | 1h45min

Mediação: Prof. Dr. Roney Polato

Local: Auditório da Faculdade de Educação

 

 

20|11- Sexta-feira – 21h30

Encerramento da Mostra

Discotecagem de Música-Afro-Latino-Caribenha com Aldeia Groove – Tonil Braz e Elpp Aravena

Local: Faculdade de Educação

 

23/11 à 27|11- Segunda-feira

Mostra Fotográfica: “Retratos da Resistência: as faces do Batuque Afro-Brasileiro Nelson Silva”.

Fotografia: Cláudia Landim

Curadoria: Guilherme Landim e Carolina Bezerra.

Local: Hall da Reitoria

 

20|11- Sexta-feira – 09h40m

23|11- Segunda-feira – 15h30m

Roda de Capoeira, Maculelê, Samba de Roda e Jongo  para celebrar a fundação do Grupo Corporeidades Afro-Brasileiras.

Profa Ms. Adriane Silva Tomaz (C.A. João XXIII/UFJF)

Profa Dra. Carolina dos Santos Bezerra (C.A. João XXIII/UFJF)

Profa Dra. Eliete do Carmo Garcia Verbena e Faria (C.A. João XXIII/UFJF)

Profa Ms. Mônica Maia (C.A. João XXIII/UFJF)

Prof. Ms. Thiago Barreto Maciel (C.A. João XXIII/UFJF)

Local: Colégio de Aplicação João XXIII da UFJF.

 

25|11- Quarta-feira – 16h00m – 17h30m

Contação de Histórias de Orixás e Roda de Jongo.

Carolina Bezerra

Local: Escola Estadual José Freire – Evento promovido como parte das atividades do Pibid de Ciência da Religião / Ensino Religioso para o mês da Consciência Negra.

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 17/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/ufjf-realiza-eventos-e-cria-campanha-no-mes-da-consciencia-negra.html

UFJF realiza eventos e cria campanha no mês da Consciência Negra

A partir desta terça-feira (17) até 9 de dezembro a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) realiza uma série de eventos para lembrar da cultura e dos valores da população negra. Além disso, no mês da Consciência Negra, a universidade promove discussões, propõe reflexões e lança a campanha “Quantos professores negros você tem?”. 

Segundo a diretora de Ações Afirmativas da UFJF, Carolina Bezerra, a intenção é envolver alunos e professores. Dentro da programação, ela mencionou ainda a criação de um grupo de corporeidades afro-brasileiras, que trabalha capoeira, maculelê, samba de roda e jongo.

De acordo com ela, a marginalização e o preconceito não é só a partir da cor da pele, ela também está relacionada aos valores civilizatórios. “Temos que fazer com que o mês da Consciência Negra discuta a igualdade entre os valores europeus, africanos e indígenas. Isso pode ser muito rico para a sociedade brasileira”, afirmou.

Os eventos serão realizados em diversas unidades acadêmicas. A palestra de abertura “As universidades brasileiras e as ações afirmativas” será nesta terça-feira (17), às 13h, na Faculdade de Engenharia. Voltada para a formação dos professores, uma mesa-redonda no Colégio de Aplicação João XXIII debate avanços, desafios e perspectivas para a implementação das leis na educação básica. Já na parte cultural, estão previstas mostras de cinema e fotografia.

Para o professor da Faculdade de Letras Edimilson de Almeida Pereira, quando a universidade aborda aspectos violência e racismo, cumpre seu papel como instância de reflexão teórica desses temas. “A campanha reforça, através de uma data específica, temas que, na verdade, são recorrentes na vida prática, e que afetam uma grande parte da sociedade brasileira”, afirmou. 

Para o professor, premiado escritor e com estudos ligados à diáspora africana, a universidade deve se debruçar sobre dados históricos e estatísticos e buscar fortalecer os movimentos sociais.

Confira a programação completa do evento no site da UFJF.

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 17/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/estudo-de-juiz-forano-aponta-qual-caixa-desperdica-mais-leite.html

 

Estudo de aluno da UFJF aponta qual caixa desperdiça mais leite

“O design da embalagem que armazena o leite mostra o quanto do líquido vai ser desperdiçado, ou não, pelo consumidor”. Essa é a afirmação do farmacêutico de Juiz de Fora, Igor Rosa Meurer, que estudou as diferentes caixinhas de leite do mercado para uma dissertação de mestrado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Leite Longa Vida, cerca de 90 milhões de litros de leite foram perdidos e jogados ao lixo, junto com a caixa, no período de um ano.

O farmacêutico passou um ano analisando os prejuízos do desperdício e concluiu que a “culpa” do desperdício é do formato da caixa e da tampa.

Segundo ele, algumas embalagens, as mais retangulares com tampas mais altas, impedem que todo o líquido saia. A embalagem que menos desperdiça é a convencional, sem tampa, que é preciso cortar a ponta para abrir.

Para os que não querem desperdiçar, a dica do farmacêutico é agitar a caixa para tentar tirar o máximo de leite possível, e reduzir o desperdício pela metade.

————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Política

Data: 16/11/2015

Link: http://www.tribunademinas.com.br/reitor-da-ufjf-renuncia-cargo/

Chebli renuncia à Reitoria da UFJF

Um ano, dois meses e doze dias. Este foi o período em que o professor Júlio Chebli permaneceu à frente da Reitoria da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Na manhã desta segunda-feira (16), o agora ex-reitor oficializou sua renúncia e abriu mão de mais dois anos e dez meses de mandato a que tinha direito, após ter sido eleito pela comunidade acadêmica da UFJF em junho do ano passado e empossado em setembro de 2014. Em carta encaminhada ao Conselho Superior (Consu) da instituição, Chebli alegou problemas de saúde, “os quais são inconciliáveis com as funções do Reitorado”, como justificativa para o afastamento. Ele destacou ainda que, durante o hiato em que esteve à frente da universidade, procurou honrar a função, baseando-se na ética e na preservação das conquistas históricas obtidas pela comunidade acadêmica. Com a saída de Chebli, o vice-reitor Marcos Chein assume interinamente o cargo. Na tarde desta terça, Chein irá realizar uma entrevista coletiva para falar da transição na instituição.

A passagem de Chein como titular do comando da Reitoria se estenderá por, no máximo, 60 dias. Em casos de vacância extemporânea da cadeira, este é o prazo definido pelo Decreto 1.916, de 23 de maio de 1996, que regulamenta o processo de escolha dos dirigentes de instituições federais de ensino superior. Assim, a expectativa é de que uma nova consulta à comunidade acadêmica seja feita nos próximos dois meses, para nortear o Consu acerca dos nomes que integrarão a lista tríplice a ser encaminhada à Presidência da República, responsável pela definição do novo reitor. Ainda segundo o decreto, não há previsão de um “mandato-tampão”, e o nome escolhido comandará a UFJF por quatro anos.

A regulamentação determina ainda que só podem ser indicados à função os ocupantes dos cargos de professor titular ou de professor associado 4 – últimos degraus da docência -, ou aqueles docentes que sejam portadores do título de doutor. Nestes casos, a única vedação está descrita no artigo 5º do decreto, que permite apenas uma “única recondução para o mesmo cargo”. Como Chebli estava em seu primeiro mandato, não há qualquer impedimento entre os docentes que atendam os pré-requisitos para postular a cadeira. Ou seja, pela lei, Chein estaria apto a participar das eleições, assim como os professores Marcus David e Paulo Villela, candidatos derrotados nas eleições do ano passado. Aliás, em um cenário mais que improvável, até mesmo Chebli poderia retornar à disputa.

Outro nome apto a participar do pleito é o do ex-reitor Henrique Duque, já que uma nova eleição para função não configuraria em uma “recondução”, como veda o decreto presidencial. Em entrevista à Rádio CBN Juiz de Fora, Duque lamentou a saída de seu sucessor e se disse surpreso. “Só mesmo um problema de saúde o faria tomar uma decisão como essa.” Principal cabo eleitoral de Chebli nas eleições passadas, Duque considerou prematuras quaisquer especulações acerca de que possa voltar a disputar a Reitoria, da mesma forma que tem evitado confirmar ou descartar uma possível candidatura à Prefeitura de Juiz de Fora.

Apesar da surpresa de momento, declarações recentes de Duque alimentaram boatos de uma possível renúncia de Chebli ainda em abril. Na ocasião, também à CBN Juiz de Fora, o ex-reitor afirmou que o ensejo de seu sucessor em deixar o cargo estaria em processo de “maturação”, em razão de dificuldades encontradas na gestão da instituição de ensino. À época, Chebli gozava de um período de férias, retomando o reitorado em maio. Em entrevista exclusiva à Tribuna, no dia 28 do mesmo mês, o então reitor afirmou que iria cumprir seu “compromisso com a comunidade acadêmica que o elegeu”, previsão que não se confirmou após o afastamento oficializado nesta segunda.

Ex-reitor enfrentou ano conturbado

A renúncia de Chebli ocorre em um momento conturbado da instituição, com a suspensão das aulas no Campus de Governador Valadares, devido à interrupção do abastecimento de água na cidade pela passagem da lama no Rio Doce, após o rompimento de duas barragens da empresa Samarco, em Mariana, há 12 dias. Além disso, há pressões por conta de questionamentos relacionados ao resultado do edital do apoio estudantil e o indeferimento de 70% dos pedidos submetidos.

Ao longo do ano, uma série de protestos marcaram o cotidiano da UFJF. Em maio, estudantes da universidade chegaram a ocupar o prédio da Reitoria por 16 dias, criticando a falta de transparência na universidade e a ausência de respostas sobre a manutenção do apoio e moradia estudantil. Recentemente, Chebli lidou com greves de 132 dias dos técnicos-administrativos e de dois meses dos professores. A administração de Chebli recebeu ainda duras críticas em relação à situação orçamentária e financeira da UFJF. Em julho, o pró-reitor de Planejamento Alexandre Zanini disse, em reunião do Consu, que a universidade teria recursos para se manter em apenas dois meses, o que causou a indignação dos grevistas.
Em busca de diálogo, em algumas situações, o agora ex-reitor e seus pró-reitores chegaram a receber grupos de professores, técnicos e alunos em algumas reuniões, demonstrando apoio aos movimentos das três categoria e colocando-se à disposição para a interlocução junto ao Ministério da Cultura (MEC).

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 16/11/2015

Link:http://www.tribunademinas.com.br/acidente-complica-transito-no-sao-pedro/

Acidente complica trânsito no São Pedro

Uma colisão entre um carro de passeio e um ônibus na entrada do pórtico norte da UFJF complicou o trânsito no bairro São Pedro no início da tarde desta segunda-feira (16).

Por volta das 14h30, os dois veículos colidiram lateralmente ao tentarem entrar na universidade. O acidente não deixou feridos, mas interditou temporariamente a entrada de carros pelo pórtico, causando uma fila de carros nos dois sentidos da rua José Lourenço Kelmer.

Por voltas 15h, o trânsito foi liberado no local.

—————————-

Veículo: Barbacena Online

Editoria: Notícias 

Data: 16/11/2015

Link:http://www.barbacenaonline.com.br/noticia/variedades/take-it-easy-vence-festival-de-musica-da-sucesso

Take It Easy vence festival de música da Sucesso 

Para comemorar os 30 anos da Rádio Sucesso foi realizado, sexta-feira (13) e sábado (14), o I Primeiro Festival de Música no Observatorium. Doze músicas foram selecionadas e participaram da fase eliminatória. Apenas seis disputaram a grande final – Menina Má (Rodrigo Dias e Juliano), Desce mais uma aí (Take It Easy), Fácil pra você (Joseane Alves), Símbolo de poder (Mineirianos), Só (Itamar Nunes) e O jogo acabou (Carlos Melo).

A terceira colocação ficou com o cantor Itamar Nunes, seguido por Rodrigo Dias e Juliano. O grande campeão da noite foi a banda Take It Easy, que também levou o prêmio de melhor intérprete.

A comissão julgadora foi composta pelo professor Davi Sad (Maestro, Arranjador, Professor de Musica, com Mestrado), Tamyres Campos Brandão Silva (Graduada em pedagogia pela UEMG-Barbacena; mestranda em Música e Interdisciplinaridade pela UFJF, canto erudito e técnica vocal pelo Conservatório Municipal de Música “Heitor Villa Lobos” e regência musical “Painéis Funarte” pela UFSJ), Daniel Marugeiro Falzoni (Músico atuante nas áreas de Canto, Piano e Regência; Professor na Sala Heitor Villa Lobos da Casa de Cultura de Barbacena; Mestrando em disciplina “Música e Interdisciplinaridade” pela Universidade Federal de Juiz de Fora), Paulo Emílio Gonçalves (jornalista, Diretor do Jornal de Sábado, músico e compositor), Galdino Silva (professor, jornalista, empresário da comunicação na cidade de Barroso).

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 16/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/comeca-na-ufjf-campanha-para-doar-agua-governador-valadares.html

Começa na UFJF campanha para doar água a Governador Valadares

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) iniciou, nesta segunda-feira (16), a campanha de doação de água mineral para ajudar os moradores de Governador Valadares. O município está sem água potável em virtude de interrupção na captação, depois que o Rio Doce foi atingido pelos rejeitos de duas barragens da Samarco Mineradora, que se romperam no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, no início do mês.

As medidas para auxiliar a comunidade foram definidas em reunião pelo reitor Julio Chebli com membros da administração e estudantes na sexta-feira passada. Na ação de solidariedade, a UFJF irá disponibilizar dois caminhões-baú para levar os galões até Governador Valadares. Os veículos atenderão exclusivamente a essa demanda, estando também encarregados de recolher as doações em outros municípios da região do Vale do Rio Doce.

Também serão enviados um caminhão-pipa para que ele possa atuar na região durante todo o período da crise no abastecimento de água. A cidade está desabastecida desde terça-feira (10).

Locais das doações:
Setor de Transportes na Proinfra – Campus​
Central de Atendimento, no prédio da Reitoria – Campus
Secretaria do Instituto de Ciências Exatas – Campus
Secretaria do Centro de Ciências da Saúde – Campus
RU Centro – Rua Santo Antônio, s/n, próximo à Rua Benjamin Constant, Centro
Secretaria do Colégio de Aplicação João XXIII – Rua Visconde Mauá 300, Santa Helena
Apes – Campus
Sintufejuf – Rua Santo Antônio 309, Centro
Mercado Municipal – Avenida Getúlio Vargas, Centro
DAs/CAs – Instituto de Artes e Design, Instituto de Ciências Exatas, Letras, Psicologia, Farmácia, Pedagogia, Engenharia e Serviço Social – Campus

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Política

Data: 17/11/2015

Link: http://www.tribunademinas.com.br/carencia-de-liderancas-negras-no-poder-publico/

Carência de lideranças negras no poder público

A dificuldade do negro de assumir cargos de comando no setor público, sejam eletivos ou comissionados, é um dos temas desta reportagem, a segunda da série “Ser negro em Juiz de Fora”, iniciada no último domingo. Uma das provas do não empoderamento dos negros é que a cidade nunca teve um prefeito afrodescendente e possui poucos representantes no Parlamento, além de nunca ter tido uma mulher negra ocupando uma das cadeiras da Câmara. Juiz de Fora também não tem órgãos específicos nem no Executivo, nem no Legislativo que tenham como prioridade políticas de igualdade racial. A exceção na cidade fica para a UFJF, que possui departamentos internos neste sentido, além de ter adotado o sistema de cotas em 2006, antes mesmo de determinação nacional para esta política.

O sociólogo Martvs das Chagas, militante do movimento negro e idealizador da Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial do Governo federal, afirma que a dificuldade para que a população negra assuma lugar na representação política ainda é um reflexo do período da escravidão. “Para se fazer uma leitura bem real da História, o Brasil é um país com 515 anos, desses, apenas 127 anos de abolição. Quando se verifica no Censo do IBGE e no Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a população negra ficou excluída, marginalizada. É um apartheid. Juiz de Fora é uma cidade apartada até hoje. Um mapeamento geopolítico de mortes por violência mostra uma concentração de vítimas entre os descendentes de ex-escravos. Isso interfere na mobilidade para a chegada ao poder”, complementa Martvs, hoje consultor técnico em Gestão Social na Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Estatuto

Ao analisar a composição política do Executivo, a presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), Zélia Lúcia Lima, cobra a existência de um órgão que torne efetiva as deliberações do conselho, como uma secretaria de direitos humanos, que englobe um departamento de igualdade racial. Segundo Zélia, a maior resistência tem sido em relação à aplicação das leis, aprovadas inclusive em plano federal, como o Estatuto da Igualdade Racial. “Lei é para ser cumprida, não é para ser discutida. Mas há muita discussão em Juiz de Fora de leis aprovadas no Congresso Nacional. Se o poder público municipal abraçar o estatuto, a cidade será uma das pioneiras no trato da questão racial. Hoje a gente ainda não consegue fazer isso aqui”, lamenta.

Sobre a possibilidade de incluir mais negros em cargos de chefia na Prefeitura, Zélia é enfática. “Em pleno século XXI, a mulher negra ainda é a base da pirâmide social. O homem negro é o terceiro na margem da pirâmide. E ainda é muito difícil o empoderamento do povo negro. O conselho executa a política para o município, mas, na hora do empoderamento, a gente não consegue chegar lá”, ressalta. Pensando no contexto local, a presidente do Compir destaca a necessidade de forças políticas que empunhem a bandeira do negro. Sem desconsiderar o trabalho dos atuais vereadores, ela ressalta a carência de lideranças representativas no Legislativo e no secretariado municipal, com foco exclusivo na causa afrodescendente.

Intenção

O secretário de Governo, José Sóter de Figueirôa, explica que a Prefeitura pretende incorporar um setor específico que atenda à demanda de minorias, incluindo o de igualdade racial. “É nossa intenção ter uma coordenadoria específica e, quem sabe, uma secretaria de direitos humanos que agregue também a atenção à pessoa com deficiência, à mulher, ao idoso, à juventude. Mas isso exige recursos humanos, financeiros e diante da situação financeira no país, nos impossibilita de dar um passo, mas estamos caminhando nessa direção”, explica, em referência à realização das conferências municipais e à criação do Compir, tornando-o paritário e deliberativo.

Em relação à nomeação de secretários negros, Figueirôa destaca o titular da pasta de Esportes e Lazer, Carlos Bonifácio (PRB), e defende que não existe discriminação ou qualquer critério que impeça a nomeação. Zélia avalia como positiva a nomeação de Carlos Bonifácio, mas esclarece que ele não representa as bandeiras do movimento negro de Juiz de Fora.

Minorias

Analisando a participação de mulheres e negros na política, com foco nos parlamentos estaduais e Congresso Nacional, o professor da Universidade de Vila Velha Orlando Lyra de Carvalho Júnior descreve a ínfima representatividade de afrodescendentes. “Nosso Parlamento não representa a sociedade civil. 80% são homens brancos, ricos e letrados. A representação do negro é muito pequena, sendo que a discriminação é ainda maior para a mulher negra. Existe uma cascata de desprezo. Se ela é negra e pobre, não entra no radar social. Só entram as mulheres que militaram em partidos de esquerda e que tem uma base comunitária. Pela eleição proporcional, pelas regras que são dadas, elas não têm chance nenhuma. E isso é muito violento”, conclui.

—————————-

Veículo: Hoje em Dia 

Editoria: Notícias

Data: 18/11/2015

Link: http://www.hojeemdia.com.br/noticias/empresario-alvo-da-pf-recebe-r-24-milh-es-do-governo-mesmo-apos-apurac-es-1.360630

Empresário alvo da PF recebe R$ 24 milhões do governo mesmo após apurações

Envolvido em duas das principais investigações da Polícia Federal em andamento atualmente – Acrônimo e “Lava Jato” – e até mesmo denunciado pelo Ministério Público Federal em julho, o empresário Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, continua engordando as contas bancárias com dinheiro público. A Gráfica Brasil, empresa criada por Bené e transferida a familiares, recebeu R$ 24 milhões do governo federal apenas neste ano. Levantamento feito pelo Hoje em Dia por meio do Portal da Transparência revela que, desse total, R$ 17,8 milhões foram pagos pelo Ministério da Saúde. Entre as principais despesas, estão a impressão e a entrega de materiais gráficos dos programas “Apoio à Implementação da Rede Cegonha” e “Implementa-ção de Políticas de Atenção à Saúde da Pessoa Idosa”. Para o primeiro, foram desembolsados R$ 8,5 milhões apenas em pagamentos neste ano.

Por meio de nota, a assessoria do Ministério da Saúde admitiu que tem contrato em vigência com a Gráfica Brasil para produção e distribuição de materiais gráficos “das diferentes áreas da pasta”. Em 2013, o ministério gastou R$ 19 milhões e, em 2014, R$ 23,1 milhões.

“Entre os materiais mais recentes impressos, encadernados e distribuídos estão publicações utilizadas nos serviços de saúde, como as cadernetas de gestantes e de saúde da pessoa idosa”, afirma trecho da explicação. A pasta justificou a manutenção dos pagamentos ao dizer que “não teve acesso ao conteúdo da suposta investigação”.

UFJF

Os R$ 6,2 milhões restantes pagos à empresa da família de Bené em 2015 tiveram como origem o Ministério da Educação. Desse total, cerca de R$ 5 milhões saíram dos cofres da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) para “serviços gráficos diversos”.

A assessoria do ministério informou que apenas repassa a verba à universidade e não tem qualquer ingerência na aplicação do dinheiro. A UFJF, por sua vez, afirmou que o contrato em vigência chegou a ser questionado por concorrentes derrotados, mas foi aprovado pelo Tribunal de Contas da União.

“Os pagamentos feitos pela UFJF, com base em seu próprio contrato, eram obrigatórios em razão de os serviços serem prestados com a conformidade dos procedimentos julgados regulares”, disse Nilson Leão, da assessoria administrativa da reitoria.

Investigações
 
Em julho deste ano, o Ministério Público Federal denunciou Bené e outras oito pessoas – das quais sete ex-funcionários do Ministério das Cidades – por crimes de peculato e fraude em licitações da pasta.

Desde o ano passado, o empresário é investigado pela Acrônimo, operação da PF que apura irregularidades de campanha e suposto envolvimento do governador Fernando Pimentel (PT) em recebimento de propina. No TCU, ao menos cinco contratos com empresas do Bené, entre as quais a Gráfica Brasil, foram questionados.

Mesmo com essas investigações e indícios, a editora recebeu ao menos R$ 6,7 milhões após julho, quando Bené foi denunciado pelo MP. A Petrobras, por exemplo, decidiu suspender contratos (entre os quais, com Ecoglobal e Schahin) depois de revelações da “Lava Jato”.

—————————-

Veículo: g1

Editoria: zona da mata

Data: 18/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/policia-de-juiz-de-fora-vai-investigar-abuso-sofrido-por-jovem-em-coletivo.html

Polícia de Juiz de Fora vai investigar abuso sofrido por jovem em coletivo

A Polícia Civil de Juiz de Fora vai investigar um estupro relatado por uma jovem de 19 anos, em um ônibus urbano da cidade. O caso aconteceu na tarde da última sexta-feira (13), mas só foi registrado nesta quarta-feira (18) pela vítima. O caso deve ser apurado pela Delegacia de Crimes contra a Mulher.

A garota relatou aos policiais que entrou no ônibus da linha “535 – São Pedro” em um ponto que fica dentro da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Ameacei levantar e ele me puxou e disse que se eu lavantasse ou gritasse ele me matava. Entrei em choque e ele começou a passar a mão em mim”
Vítima de assédio, em post no Facebook

Instantes depois, um homem, de aproximadamente 45 anos, se sentou ao seu lado e a ameaçou, pedindo que ela ficasse quieta, não se levantasse e descesse junto com ele, no Centro da cidade. Caso desobedecesse as ordens, ele a mataria.

Ainda de acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), em seguida, o autor começou a passar a mão nas pernas da vítima, próximo a sua virilha.

Quando o veículo parou, no ponto próximo a um shopping na cidade, o homem se distraiu com outro passageiro e a vítima conseguiu se levantar e sair correndo.

O G1 entrou em contato a UFJF que enviou nota dizendo que repudia quaisquer atos de assédio e se coloca à disposição para prestar apoio às vítimas e tomar as providências que forem cabíveis. A Tusmil, empresa que faz a linha 535, disse que a ocorrência não consta no livro de registros da empresa, mas que um responsável deve falar sobre o caso nesta quinta-feira (19).

Desde o início desta semana, uma mensagem com o teor praticamente idêntico circula nas redes sociais, em forma de corrente, tentando avisar a garotas para que elas se protejam. “Ameacei levantar e ele me puxou e disse que se eu lavantasse ou gritasse ele me matava. Entrei em choque e ele começou a passar a mão em mim”, diz o texto.

—————————-

Veículo: g1

Editoria: zona da mata

Data: 18/11/2015

Link:http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/juiz-de-fora-deve-sofrer-mais-descargas-eletricas-neste-verao.html

Juiz de Fora deve sofrer mais descargas elétricas neste verão

Juiz de Fora é a quinta cidade do Brasil com maior incidência de raios e a primeira de Minas Gerais no ranking que mede a concentração e a densidade de descargas elétricas, e a previsão é de que no próximo verão as tempestades com raios aumentem em 20% na cidade.

A média da densidade de descargas na cidade é de 17.03 por km²/ano. Os números são do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

De acordo com a climatologista da cidade, Cássia de Castro, a explicação para a incidência maior de raios está no fenômeno do El Niño, que vai ganhar força e será um dos piores da história. “O El Niño tende a ficar de moderado a forte e a maior implicação deste fenômeno na região Sudeste são as temperaturas. Com isso, aumenta a evaporação. Quando o ar sobe, ele forma mais nuvens, que dão origem às chuvas no final de tarde””, comentou.

A chance de uma pessoa ser atingida por um raio é em torno de uma para um milhão, mas como casos já foram registrados, o professor de engenharia elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Cristiano Casagrande, dá dicas de como se proteger.

“A pessoa deve evitar ficar em lugares abertos, descampados, onde fique de pé. No campo de futebol, por exemplo, ela seria o ponto mais alto. Portanto, ela precisa evitar ficar perto de lugares altos, debaixo de árvores ou objetos de altura elevada que podem atrair ainda mais os raios”, finalizou.

Prejuízos
Os raios podem trazer ainda prejuízos. O segurança Manoel Pais teve duas TVs queimadas durante tempestades em Juiz de Fora. “Liguei para um técnico da minha confiança e expliquei o ocorrido. Ele perguntou: essa sua televisão tem alguma coisa conectada, como uma parabólica? Eu falei tem. Ela queimou por ali”, disse.

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 17/11/2015

Link:http://www.tribunademinas.com.br/marcos-chein-assume-a-reitoria-da-ufjf/

Marcos Chein assume a reitoria da UFJF

No exercício da reitoria após a renúncia do professor Júlio Chebli, o vice-reitor Marcos Chein garantiu nesta terça-feira (17) a continuidade dos processos em andamento na UFJF, a fim de evitar um “vácuo de poder e uma crise institucional”. Ele conduziu a reunião do Conselho Universitário durante a tarde, onde foi lida a carta de renúncia do reitor e acatado o pedido de Chebli.

Segundo Chein, o documento será enviado ao Ministério da Educação (MEC) para a publicação da exoneração nos próximos dias. A partir de então, começa a contar o prazo de 60 dias para a realização de uma nova consulta acadêmica para eleger o novo reitor e indicação do Conselho Universitário, a partir de uma lista tríplice.

“O importante é continuar trabalhando para que a engrenagem da Universidade não pare. Eu acho que há compromissos que precisam ser respeitados, compromissos eleitorais que precisam ser mantidos. Sempre atuei em vários momentos de crise com o reitor, podemos levar com tranquilidade, com serenidade e com respeito a esse processo democrático de sucessão”, disse.

Chein também confirmou a continuidade dos pró-reitores até o fim do prazo de 60 dias, exceto o professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Alexandre Zanini, que foi exonerado do cargo na última sexta-feira (13), alegando razões pessoais. Em seu lugar, assumiu de forma interina o pró-reitor de Obras, Sustentabilidade e Sistemas de Informação, Rubens Oliveira.

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 18/11/2015

Link:http://www.tribunademinas.com.br/ufjf-tera-lista-triplice-em-60-dias/

UFJF terá lista tríplice em 60 dias

O vice-reitor no exercício da Reitoria UFJF, Marcos Chein, se reuniu ontem com o Conselho Universitário (Consu) para formalizar a renúncia do agora ex-reitor Júlio Chebli, que entregou carta com pedido de desligamento na última segunda-feira. O documento será enviado ao Ministério da Educação (MEC) na manhã de hoje. Chein garantiu a continuidade dos processos institucionais até que seja escolhido o novo nome que irá assumir oficialmente a universidade. O Consu terá 60 dias para a indicação de uma lista tríplice ao MEC, contados a partir da publicação da exoneração de Chebli no Diário Oficial da União. Chein, que é professor da Faculdade de Direito, adiantou que não pretende concorrer à Reitoria, mas ressaltou que não irá se desfazer do cargo de vice-reitor.

“Não pretendo desfazer da vice-reitoria. Tenho um compromisso moral e cívico com esse mandato. As pessoas me elegeram, confiaram em mim e vou terminar o mandato de vice-reitor seja lá quando for. É importante dizer que não há renúncia do vice-reitor. Não tenho motivos para renunciar, mas tenho motivos para continuar liderando a UFJF para que não haja um vácuo de poder e uma crise institucional grave”, destacou, em coletiva à imprensa. A fala de Chein é emblemática, pois ventila-se a possibilidade de o Consu indicar a lista tríplice apenas para o cargo de reitor, sem que seja necessária a indicação de um novo vice.

Chein assegurou ainda que os pró-reitores que estavam no cargo serão mantidos, à exceção do professor da Faculdade de Economia Alexandre Zanini, que ocupava, até o último dia 13, a pasta de Planejamento e Gestão. “O pró-reitor de Obras, Rubens Oliveira, assumiu interinamente para que os processos não sejam interrompidos. Estou trabalhando para encontrar um substituto e rearranjar a equipe”, esclarece.

O orçamento da UFJF para o ano de 2016 não deverá sofrer impactos. Segundo o vice-reitor em exercício da Reitoria, Zanini teria encerrado o processo de elaboração do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA). A proposta agora depende da aprovação pela Câmara dos Deputados. “Terei um tempo para nos apossar dessas informações mais específicas e entender como as rubricas foram divididas”, explica, referindo-se aos recursos destinados ao custeio, entre eles o pagamento de bolsas. Chein ainda assegurou o andamento das obras com contratos já pactuados.

Transparência

Questionado em relação às cobranças por mais transparência no exercício da função administrativa, Marcos Chein garantiu que irá exercê-la, mas afirmou ser necessário cobrar isso dos novos candidatos. “É muito fácil falar de transparência, mas difícil colocar em prática se não houver respeito, o mínimo de diálogo. A questão da transparência tem soado, muitas vezes, de forma muito demagógica. Vamos pensar sobre o tipo de universidade que queremos construir para os próximos anos. É preciso o respeito ao diálogo. Não adianta falar em publicidade, em transparência, quando se quer falar apenas aquilo que lhe interessa enquanto indivíduo”, sentenciou.

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 18/11/2015

Link:http://www.tribunademinas.com.br/donativos-arrecadados-sao-encaminhados-para-mariana-e-governador-valadares/

Donativos arrecadados são encaminhados para Mariana e Governador Valadares

Um caminhão carregado com várias doações feitas pela população de Juiz de Fora partiu, na manhã desta quarta-feira (18), rumo à cidade de Mariana, onde o rompimento de barragens da mineradora Samarco destruiu completamente o distrito de Bento Rodrigues, além de causar um rastro de destruição em dezenas de municípios da região do Vale do Rio Doce.

Os donativos foram arrecadados através de campanha realizada pelo projeto “Bem Comum”, executado pela Secretaria de Comunicação Social, lançada um dia após o acidente. O caminhão, cedido pela empresa Camilo dos Santos, foi carregado na sede da Prefeitura, na Avenida Brasil. De acordo com os organizadores da iniciativa, a ação resultou na arrecadação de aproximadamente cinco toneladas de doações. Deste total, foram recolhidos aproximadamente mil litros de água, 340 sacos de roupas e 20 de produtos de higiene pessoal e limpeza, colchões, cobertores, toalhas, calçados, além de fraldas e brinquedos.

Os postos de coleta seguem recebendo as doações. São eles: sede da PJF, Espaço Cidadão (Centro, Norte, Sul, Oeste e Nordeste), Centro Universitário Estácio Juiz de Fora, Independência Shopping, Faculdade do Sudeste Mineiro (Facsum) e Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG).

Água arrecadada pela UFJF chega em Governador Valadares

Nesta terça-feira (17), dois caminhões, carregados com as primeiras doações de água arrecadada através da campanha realizada pela UFJF, chegou a Governador Valadares. Segundo o balanço da instituição, cerca de 10 mil litros foram doados pelos juiz-foranos. Deste número, 9.270 litros foram oferecidos pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). As doações serão entregues em postos oficiais definidos pela Prefeitura da cidade.

A campanha continua e a expectativa é que novos envios sejam realizados ainda ao longo da semana. A universidade pede que as pessoas que puderem façam suas doações diretamente no setor de Transportes, na Pró-reitoria de Infraestrutura (Proinfra), no campus, de forma a facilitar o trabalho de coleta.

Em caso de impossibilidade do pedido, a água pode ser deixada nos seguintes endereços: Central de Atendimento, Secretaria do Instituto de Ciências Exatas, Secretaria da Faculdade de Enfermagem, Apes e DAs/CAs, Instituto de Artes e Design, Instituto de Ciências Exatas, Letras, Psicologia, Farmácia, Pedagogia, Engenharia, Serviço Social e Medicina, todos no Campus.

Também funcionam como postos de coleta o RU Centro (Rua Santo Antônio, próximo à Rua Benjamin Constant, Centro), Secretaria do Colégio de Aplicação João XXIII (Rua Visconde Mauá 300, Santa Helena), Sintufejuf (Rua Santo Antônio 309, Centro) e Mercado Municipal (Avenida Getúlio Vargas, Centro).

—————————-

Veículo: Tribuna de Minas

Editoria: Cidade

Data: 18/11/2015

Link:http://www.tribunademinas.com.br/inscricoes-para-sorteio-de-vagas-termina-quinta/

Inscrição para sorteio de vagas do Colégio João XXIII termina quinta

As inscrições para as 75 vagas destinadas ao primeiro ano do Ensino Fundamental do Colégio de Aplicação João XXIII terminam nesta quinta-feira (19). As vagas referem-se ao ano letivo de 2016 e serão preenchidas por meio de sorteio público para candidatos nascidos entre 1º de janeiro de 2009 e 30 de junho de 2010. As inscrições custam R$ 36 e podem ser realizadas pelo site www.joaoxxiii.ufjf.br.

O boleto para pagamento da taxa deve ser emitido pelo próprio candidato ou seu representante durante o processo de inscrição, e poderá ser pago em qualquer agência do Banco do Brasil. A confirmação de inscrição poderá ser consultada de 25 a 27 de novembro, no site do colégio, período em que o candidato deverá imprimir o cartão com o número que deve ser apresentado no dia do sorteio.

Além das 75 vagas, serão sorteadas mais dez, de suplentes, caso ocorra desistência, perda de prazo ou o não preenchimento dos requisitos exigidos para matrícula. O sorteio está confirmado para o dia 28 deste mês, às 9h30, na Faculdade de Educação Física da UFJF.

—————————-

Veículo: G1

Editoria: Zona da Mata

Data: 18/11/2015

Link: http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/ufjf-abre-prazo-para-revisao-de-bolsas-de-apoio-estudantil.html

UFJF abre prazo para revisão de bolsas de apoio estudantil

Diante dos questionamentso de estudantes em relação às bolsas de apoio estudantil, a Pró-Reitoria de Apoio Estudantil e Educação Inclusiva (Proae) da UFJF decidiu abrir período para pedido de revisão das modalidades concedidas aos discentes. Os alunos em desacordo com os benefícios concedidos devem entrar no site da Proae, imprimir e preencher um formulário.

O documento deverá ser entregue impresso e em envelope lacrado, nos dias 24 e 25 de novembro, na Central de Atendimento, no campus da UFJF, das 8h às 19h. Já os discentes de Governador Valadares, em razão da suspensão das aulas, deverão enviar o formulário, devidamente preenchido, assinado e digitalizado, para o e-mail proae@ufjf.edu.br até as 19h do dia 25 de novembro.

A UFJF informou que os alunos com bolsa deferida e que entraram com recurso durante o prazo dado anteriormente não precisam enviar novamente o formulário. Esses pedidos já foram separados para análise.

Os pedidos de revisão da concessão das bolsas e/ou auxílios serão analisados pela equipe de assistentes sociais da Proae, considerando o perfil socioeconômico do grupo familiar do (a) discente, dentro do limite orçamentário para assistência estudantil na UFJF. A análise dos recursos indeferidos está sendo feita pela empresa contratada por licitação para o processo.

——————————————-

Veículo: O Tempo

Editoria: A.Parte

Data: 18/11/2015

Link:http://www.otempo.com.br/cmlink/hotsites/aparte/grupo-vale-doou-a-pol%C3%ADticos-o-equivalente-a-metade-de-multa-1.1172957

Grupo Vale doou a políticos o equivalente a metade de multa

A multa de R$ 250 milhões anunciada pela presidente Dilma Rousseff (PT) para a Samarco, pelo desastre causado pelo rompimento de uma das barragens da empresa em Mariana, foi muito questionada, principalmente se comparadas às margens de lucro líquido da empresa em 2014 (R$ 2,8 bilhões) ou mesmo se avaliadas ao lado de multas para outras catástrofes. Em um setor que movimenta cifras monumentais, muitas vezes na casa dos bilhões, o valor da punição se torna irrisório. Para se ter uma ideia, nas últimas três eleições, empresas que possuem a Vale como acionista ou como única proprietária fizeram doações que equivalem a mais da metade dessa multa. Foram R$ 129 milhões para campanhas políticas de diversos partidos para eleições presidenciais, de governadores, prefeitos, senadores e deputados federais e estaduais nos últimos seis anos.

Em 2010 e em 2014, as doações foram pulverizadas entre várias empresas do grupo, que muitas vezes patrocinavam simultaneamente políticos em disputa direta. Em 2012, elas ficaram concentradas na Vale Fertilizantes.

A Samarco, empresa controlada pela Vale em sociedade com a BHP Billiton, não fez nenhuma doação nesse período, mas suas “meias-irmãs” ajudaram na eleição de muitos políticos e estiveram entre os principais financiadores dos maiores partidos brasileiros nos últimos anos. Nenhum problema até aí. Desde que os políticos saibam evitar que os interesses particulares de seus “financiadores” se sobreponham aos interesses públicos.

 

O cientista político Paulo Roberto Figueira Leal, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), lembra que não existem doações, mas sim empréstimos. “Em algum momento esses valores vão ser tomados, não em forma de dinheiro, mas em forma de relações de proximidade, de compadrio ou outros benefícios”, explica.

Sem Rolls Royce

No painel do qual participou nesta quarta, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), brincou com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), colombiano naturalizado brasileiro. “É uma grande pessoa, só não pode ocupar a Presidência”, disse Lacerda. Após risos da plateia, ele completou: “Mas também podemos cuidar disso”. A Constituição Federal diz que são privativos aos brasileiros natos os cargos de presidente e vice-presidente. Lacerda ainda contou um episódio sobre a posse do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, em 2014. “Ela estava desfilando naquele Rolls Royce, da época de Getúlio, e ele (Amastha) disse: ‘Nesse aí eu nunca vou andar’. Bom, a gente podia alugar o Rolls Royce, e ele passa um tempo em cada capital”, brincou Lacerda.

TCE para licitação

O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) suspendeu, nesta quarta, uma licitação realizada pela Prefeitura de Unaí para a concessão dos serviços regulares de transporte público urbano e rural de passageiros por causa da existência de supostas irregularidades no procedimento licitatório. Agora, o tribunal pede que seja realizada uma reformulação do edital com adequações e correções de “irregularidades que poderiam comprometer o caráter competitivo da licitação”. Entre os vários aspectos do documento a sofrerem alterações estão as normas para publicação do aviso de licitação de forma a aumentar a participação de interessados na concorrência. Caso o prefeito Delvito Alves (PTB) não suspenda a licitação, será aplicada a multa diária no valor de R$ 1.000.

R$ 7.448 É o valor que o Ministério da Defesa desembolsou para a compra de um letreiro não luminoso. A placa irá para o Centro de Proteção da Amazônia.Verdade. Os novos integrantes da Comissão da Verdade em Minas (Covemg) tomaram posse nesta quarta. Carlos Melgaço Valadares, Paulo Afonso Moreira e Robson Sávio Reis Souza vão conduzir o colegiado, que foi prorrogado por mais dois anos (até agosto de 2017) para esclarecer sobre as violações de direitos humanos em território mineiro entre 1946 e 1988.

Pimentel na Câmara

O governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), será o orador, na próxima sexta, da cerimônia de entrega do Grande Colar da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Neste ano, 50 pessoas e/ou entidades serão agraciadas. Entre elas, o deputado estadual Durval Ângelo (PT) e o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Minas, Paulo Cézar Dias. Cada vereador indicou um nome, e os outros nove foram escolhidos pelo Conselho de Agraciamento. No ano passado, 99 pessoas receberam o colar. A diminuição, segundo a Câmara, é para gerar economia e garantir maior relevância à honraria.

Suplementação

Já está pronto para ir ao plenário da Assembleia de Minas o projeto de lei que autoriza a abertura de crédito suplementar ao Orçamento de 2015, no valor de R$ 342,62 milhões, para o Tribunal de Justiça de Minas (TJMG), o Tribunal de Contas (TCE), o Ministério Público (MP) e para a própria Assembleia. Pela proposição, R$ 204,04 milhões serão destinados ao TJ; R$ 108,1 milhões para o MP; R$ 29,33 milhões em favor da ALMG; e R$ 1,15 milhão para o TCE. O montante deverá ser utilizado pelos órgãos para cobrir despesas de pessoal, gastos correntes e investimentos, além de encargos sociais.

Compartilhe: