A3 chega à sexta edição; lançamento acontece nesta 3ª

a3O sexto número da Revista A3 será lançado na próxima terça-feira, dia 13, a partir das 14h, no Anfiteatro das Pró-reitorias. Dentre os destaques desta edição, estão as pesquisas feitas na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) relacionadas ao futebol, o Parque Tecnológico e seu impacto na economia da região, estudos e descobertas no Jardim Botânico da UFJF e um ensaio fotográfico dos movimentos sociais na década de 80, de Humberto Nicoline. O lançamento conta com a presença do jornalista e consultor em Comunicação Empresarial e Jornalismo Científico, Wilson da Costa Bueno, que falará sobre os conflitos entre comunicação pública e interesses privados.

Para a secretária de Comunicação da UFJF, Christina Musse, a revista está crescendo cada vez mais. “Chegar ao sexto número da A3 é uma vitória da UFJF, professores, técnico-administrativos e alunos. A revista está atingindo a maturidade, sendo lida na versão impressa e on-line por diversos segmentos. Recebemos cartas de instituições e professores que viram na revista sinais de algo novo, que têm trazido colaboração, seja na parte de diagramação, fotografia e em especial nos assuntos científicos, abordados de forma acessível para todos compreenderem. É a comunicação científica de qualidade rompendo barreiras para tornar o conhecimento científico mais acessível”.

A revista aproveitou o clima de Copa do Mundo a ser realizada no Brasil, e preparou uma reportagem especial sobre futebol, mostrando que pesquisas desenvolvidas na UFJF procuram entender o perfil de jovens jogadores, treinar goleiros e analisar a identidade do futebol brasileiro. “A matéria de capa trata do esforço da Universidade em acompanhar de forma científica essa paixão nacional, o futebol. É uma matéria muito interessante, pois levanta uma questão: Foi mesmo Charles Miller que inaugurou o futebol no Brasil? Isso porque encontramos registros de uma partida de futebol jogada no campo do Instituto Metodista Granbery no ano de 1893, dois anos antes da partida organizada por Miller. A reportagem mostra também outras pesquisas que têm como foco o futebol, além de apresentar fotografias belíssimas”. Acrescenta Musse.

Esta sexta edição da revista traz como um de seus destaques o ensaio do fotógrafo Humberto Nicoline sobre os movimentos sociais de Juiz de Fora nos anos 80. Suas obras retratam manifestações ocorridas na cidade que ilustram como a representação política ganhou força nas ruas durante aquele período. “Esse ensaio faz parte do livro ‘JF anos 80’. Naquela época, eu respirava, vivia, me alimentava disso. O equipamento já ficava comigo o dia inteiro, e isso possibilitou registrar essa década com facilidade”, conta Nicoline. Ele relembra o papel do fotógrafo em um cenário político conturbado. “A presença do fotógrafo de imprensa coibia um pouco da repressão e conseguia fazer com que os manifestantes não apanhassem tanto”.

O ensaio é acompanhado pelo artigo do secretário-adjunto de Comunicação e professor da Faculdade de Comunicação da UFJF, Rodrigo Barbosa. “Humberto é um profissional absoluto no jornalismo, e a revista é uma oportunidade de ver um grande talento do fotojornalismo mineiro. Reunimos as fotos de um período de transformação política do Brasil, de transição da ditadura para democracia, impulsionado pelos movimentos sociais. O ensaio reúne qualidade fotográfica e jornalística registrando a participação da cidade nesse momento importante da história”, comenta Barbosa.

O Parque Tecnológico da Universidade também é destaque. Com o objetivo colocar a Zona da Mata no mapa da inovação, o Parque pretende dinamizar a economia regional desenvolvendo negócios inovadores integrando instituições de ensino, empresas e governo. A matéria aborda os desafios para a formatação do projeto, explicando passo a passo como o empreendimento nasceu e como vai funcionar no futuro.

Assim como o Parque, outro empreendimento da UFJF chama atenção nesta edição. Criado para preservar uma das principais reservas com vegetação remanescente da Mata Atlântica da região, o Jardim Botânico já apresenta resultados. A revista mostra que pesquisas recentes comprovam a riqueza da flora a fauna do espaço, e detalha os trabalhos realizados até agora na descoberta de espécies e no entendimento da dinâmica do ambiente.

A revista ainda traz um artigo do advogado e professor, Glauco Moreira de Moura. Ele utiliza o livro “Holocausto Brasileiro”, da jornalista Daniela Arbex, como pano de fundo para refletir sobre a situação dos tratamentos de psiquiatria no país.

O evento de lançamento da revista é gratuito e aberto a toda comunidade.

Outras informações: 2102-3967 (Secretaria de Comunicação)

Site da Revista A3 (http://www.ufjf.br/arquivodenoticias/a3/)

Compartilhe: