Empresa âncora do Parque Científico e Tecnológico de Juiz de Fora terá investimento de mais de R$ 60 milhões

Foram assinados na tarde desta quarta-feira, dia 29, três protocolos de intenções entre a empresa portuguesa Nanium Participações S.A., o Governo de Minas Gerais, a Universidade Federal de Juiz de Fora e a Prefeitura de Juiz de Fora, para a implantação de uma unidade industrial no Parque Científico e Tecnológico de Juiz de Fora. Segundo o presidente internacional da Nanium, Armando Tavares, o investimento da indústria de semicondutores, que será a âncora do empreendimento, será da ordem de US$ 30 milhões (o que representa mais de R$ 60 milhões). O protocolo de intenções com o Governo de Minas Gerais foi assinado no valor de R$ 30 milhões.

A previsão é de criação de 150 empregos diretos e outros 40 indiretos. De acordo com o presidente internacional da indústria, as conversas em torno do projeto estavam acontecendo há um ano e meio, após a realização vários estudos junto a outras instituições. “Mas encontramos na cidade e na Universidade um enorme apoio. Estou certo de que achamos os parceiros certos para contribuir para expansão da Nanium.”

De acordo com o reitor da UFJF, Henrique Duque, a vinda da empresa representa uma nova perspectiva para a instituição e para a cidade. “Além de oferecer empregos com maior nível de especialização e melhores salários, o Parque também contribuirá para reter, na cidade, os cérebros formados em nossa instituição. Vemos pessoas que muitas vezes querem continuar na cidade, mas precisam buscar outras para encontrar empregos compatíveis com sua área de formação”, destacou. Segundo o diretor-executivo da Nanium Participações, José Miranda Chaves Netto, o empreendimento irá contribuir para a formação de gestores, engenheiros, técnicos e operadores de produção, em parceria com a UFJF, que serão treinados no Brasil e em Portugal.

[caption id=”attachment_66361″ align=”alignright” width=”300″ caption=”Vice-governador, Alberto Pinto Coelho, acredita que a chegada da empresa ajudará a reverter o quadro da Zona da Mata (Foto: Alexandre Dornelas)”

”Reitor

Ainda segundo Henrique Duque, a vinda da empresa “será o início de um projeto que irá agregar maior valor à nossa região, baseado no tripé sustentabilidade, inovação e globalização, com empresas limpas e de alta tecnologia.”

Para o vice-governador Alberto Pinto Coelho, a chegada da Nanium no estado ajudará a reverter o quadro da Zona da Mata. “É muito importante contar com empresas focadas em tecnologia, inovação e alto valor agregado. Vale a pena estar em um governo que segue nessa diretriz.”

O prefeito Custódio Mattos lembrou do período em que a economia de Juiz de Fora e da Zona da Mata estiveram estagnadas e a importância do decreto que possibilitou à região competir com municípios que oferecem vantagens fiscais. “Começamos a ser procurados por grandes empresas. Esse reencontro com Portugal, e com o que há de melhor na área de tecnologia desse país, é um dos resultados dessa ação.”

O projeto da Nanium terá início em outubro deste ano e tem término previsto para meados de 2017. Em sua primeira fase, a empresa fabricará módulos de memória DRAM e módulos de flash (como pen drives). Na segunda etapa, que deverá ocorrer 12 meses após a conclusão da primeira fase, serão iniciadas as atividades de produção de componentes em sala limpa (cartões de memória), para o mercado de desktops, notebooks e tablets.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Tecnológico da UFJF, Paulo Nepomuceno, na primeira fase, a empresa irá funcionar no prédio onde está localizado o Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt), que será totalmente revitalizado, com investimentos próprios da UFJF. Ainda segundo Nepomuceno, a Universidade irá desenvolver vários projetos em conjunto com a indústria de semicondutores para a formação de recursos humanos. “Vamos desenvolver vários programas envolvendo tanto a graduação quanto a pós-graduação.”

O foco da empresa será o mercado nacional, porém a Nanium pretende ampliar a oferta de novos produtos, tanto para o mercado interno quanto para exportação.

”Reitor

Assinaram o protocolo o vice-governador, Alberto Pinto Coelho, o reitor da UFJF, Henrique Duque, e o prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos, entre outras autoridades. A cerimônia ocorreu no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte.

Sobre a Nanium

A Nanium S.A. foi fundada em 1996, no município de Vila do Conde, em Portugal, para produzir e prestar de serviços no segmento de eletrônica. A empresa atua ainda nas áreas de serviços, equipamentos, processo, produto e fabricação de semicondutores.

A indústria iniciou suas atividades como Siemens Semicondutores S.A. e, depois de algumas alterações, passou a ser designada por Nanium S.A., com composição acionária constituída por 17,88% do Estado Português, por intermédio do Ministério dos Negócios Estrangeiros, e 41,06% dos Bancos Espírito Santo e Comercial Português.

A Nanium possui também know-how na fase de packaging (ou encapsulamento) dos chips, os cérebros dos equipamentos eletrônicos.

Parque Tecnológico

O Parque Tecnológico, que será instalado em um terreno de aproximadamente um milhão de metros quadrados, será o fator de convergência do conhecimento produzido pela UFJF para o setor empresarial e também para a sociedade. Orçado em cerca de R$ 50 milhões, o empreendimento é um instrumento para o desenvolvimento regional.

Segundo o reitor, até o dia 30 de setembro será lançado o edital para o início das obras de infraestrutura. A previsão é de finalização desta etapa em 15 meses. Paralelamente, serão erguidos dois prédios de dez mil metros quadrados no espaço. Ainda de acordo com o reitor, mais de 50 empresas já manifestaram o interesse em se instalar no empreendimento.“A concretização do Parque Científico e Tecnológico é um marco de uma gestão e representa o início de uma nova era de desenvolvimento econômico sustentável em nossa região.”

Outras informações: (32) 2102-3967 (Secretaria de Comunicação)

[gallery=362

Compartilhe: