UFJF tem 14 cursos entre os dez melhores nas últimas provas do Enade

aa

Levantamento mostra que maioria dos cursos da UFJF tem conceito cinco ou quatro

Calouros e veteranos da UFJF iniciaram as aulas na última semana em cursos com melhor desempenho no País nas últimas três edições do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade 2009, 2008 e 2007) com resultados publicados. Das 29 graduações da universidade com amostra suficiente de estudantes avaliada, 14 estão entre as dez melhores colocadas em todo o País. Se considerada a conceituação, 24 obtiveram índice cinco ou quatro, os mais altos (veja tabela abaixo).

No resultado mais recente do exame, referente à prova de 2009, cinco graduações estão entre as oito melhores do país. Dentre os 968 cursos de Direito de instituições públicas e privadas avaliadas, o da UFJF aparece em primeiro. Administração e Psicologia estão em segundo, Comunicação Social diurno em terceiro, e Economia em oitavo.

Na edição 2008 do exame, Ciências Biológicas ocupa a segunda posição; Engenharia de Produção e Matemática a quinta; Letras e Química a sétima; Engenharia Elétrica a décima, História a 11º; e Ciências Sociais a 13ª. Nesse ano, a Engenharia de Produção ficou com a maior nota dos 9.428 alunos ingressantes. Em Geografia, a maior pontuação de um formando da Região Sudeste foi da UFJF.

Na prova aplicada em 2007, quatro dos sete cursos avaliados se destacaram: Farmácia (terceira posição), Fisioterapia (quinta), Educação Física (oitava) e Odontologia (13ª). O resultado das provas de 2010 será divulgado provavelmente no último trimestre de 2011.

O ranking do Enade considera apenas a nota obtida pelos alunos concluintes, já o conceito considera também a pontuação do ingressante. A cada ano, um grupo de cursos é avaliado, para que o ciclo recomece em três anos. Há outros indicadores, mais amplos, como o Índice de Diferença de Desempenho (IDD) e o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que analisam mais componentes, como a qualificação do corpo docente, o programa pedagógico, a nota do aluno ingressante e a infraestrutura da faculdade. USP e Unicamp não participam do processo.

Posição de 29 cursos da UFJF que participaram do Enade 2009, 2008 e 2007

O que há por trás

pesquisa

Projetos de pesquisa, como o aplicado na cidade de Três Rios, enriquecem currículo de alunos de Psicologia

“Em primeiro lugar, o mérito da posição no Enade é do aluno”, afirma o chefe do Departamento de Psicologia, professor Lélio Moura Lourenço. Mas ele, outros docentes e alunos envolvidos no exame de 2009 apontam em comum que há uma lista de itens presentes nos cursos da UFJF que influenciam o desempenho dos estudantes, como corpo docente ampliado e qualificado, pesquisas, cursos de pós-graduação, projetos de extensão e de iniciação científica e melhor infraestrutura – característicos da transformação por que passa a universidade e outras instituições públicas.

Na Psicologia, um exemplo de mudanças que colaboram para a melhoria é o atendimento de uma necessidade histórica de professor com formação em psicologia organizacional. A quantidade de docentes em outras especialidades também aumentou ainda que, junto à oferta de espaço, não seja ideal, ressalva Lourenço e os representantes do Centro Acadêmico e alunos de iniciação científica, Pedro Henrique Antunes da Costa e Vinícius de Paula Menezes. Mas as contratações fazem o próprio professor confundir o total de pessoal do setor que coordena: “São 15 ou 17. Não sei de cabeça devido aos ingressos que vêm ocorrendo”, explica.

Com isso, houve acréscimo na produção científica local, impulsionada pelo mestrado, que permite a participação de acadêmicos em projetos de pesquisas. “Os alunos estão desenvolvendo uma curiosidade científica muito aguda”, destaca o chefe do departamento.

A mudança do curso para a nova sede do Instituto de Ciências Humanas, prevista para este ano, traz a esperança de suprir a demanda por infraestrutura. Somada à posição no Enade, essa é uma perspectiva que agrada as alunas do primeiro período Sara Helena de Oliveira e Paloma Luna. “Um curso bem avaliado dá mais segurança à gente”, justificam.

Mais uma

Depois de ser a quarta faculdade que mais aprovou no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no primeiro exame de 2010, a Faculdade de Direito soma ao seu histórico a primeira posição no Enade. A faculdade investiu em uma reforma curricular e de sua estrutura, nos últimos quatro anos, e na efetivação de mais professores em dedicação exclusiva.

a

A reabertura da biblioteca do Direito foi uma das conquistas para estudantes segundo diretor da unidade

As salas de aula ganharam data-show, e a biblioteca setorial, que havia sido transferida para a unidade Central no início dos anos 2000, retornou à faculdade. “Neste ano, estamos assinando uma base de dados nacionais e internacionais na área jurídica (vLex). Nosso aluno é bem determinado, estudioso, e nossos professores têm dedicação que deve ser ressaltada”, afirma o diretor da unidade, Marcos Vinício Chein Feres.

Mudanças na Comunicação

Para a diretora da Faculdade de Comunicação, Marise Mendes, entre as oportunidades que o curso oferece ao aluno destaca-se a qualificação dos professores. Do total de 31 professores efetivos, 20 são doutores; nove são mestres e dois são especialistas. Marise acrescenta a existência de grupos de pesquisas, especializações, mestrado, programa de educação tutorial e a empresa júnior Acesso.

“Nossa estrutura, apesar de dificuldades, consegue dar conta de trabalhar todas as mídias”, afirma, citando como exemplos, a Produtora de Multimeios, estúdio de TV, Jornal de Estudo e site. Outro veículo é a Rádio Facom, apontada pelos estudantes, conforme o vice-presidente do Diretório Acadêmico, Erik Chaves, como uma das principais atividades que permitem aliar a teoria à prática. “Desde o primeiro período, o aluno pode participar de programas da rádio”, diz.

A estudante do quinto período diurno, Roberta Braga, gostaria que a carga de atividades práticas do curso pudesse ser maior. Ela busca suprir essa necessidade fazendo estágios. Iniciou um novo nesta semana e é bolsista há mais de um ano na Secretaria de Comunicação da própria universidade. Isso sem deixar de lado o projeto de iniciação científica de que participa na faculdade.

Para a unidade garantir suas melhorias, o vice-presidente do Diretório aponta a necessidade de ampliar a infraestrutura do curso e disponibilizar mais equipamentos, como câmeras de vídeo. A diretora diz que um desafio da unidade é a reforma curricular: a habilitação em Jornalismo se transformará em curso, o que fará com que tenha mais disciplinas com foco nessa área. Está em estudo a criação de outra graduação – “Rádio, TV e Internet”. Se aprovadas, as mudanças devem ser iniciadas em 2012.

Economia com história

a

Faculdade de Economia possui a tradição de 70 anos

Oitava colocada no Enade, o curso de Economia carrega a tradição de 70 anos, que serão completados neste ano. A faculdade foi uma das escolas que originaram a UFJF. Esse é um dos componentes que pesaram para a posição no ranking, segundo o diretor da faculdade, Lourival Batista.

“Isso porque existe um processo de aperfeiçoamento do corpo docente, que é altamente qualificado (mais de 90% são doutores). fizemos uma discussão de reestruturação do curso, que o torna mais próximo da realidade”, completa. A faculdade disponibiliza projetos de iniciação científica, de monitoria e de extensão. “Temos um compromisso com a qualidade do ensino”, frisa.

O curso vem melhorando a avaliação a cada triênio, passando de conceito quatro para cinco. Outro indicador importante é a aprovação de seis dos acadêmicos da graduação entre os 150 melhores no exame nacional para seleção dos ingressantes nos programas de mestrado da Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia (Anpec).

Segundo a coordenadora de Administração, Bárbara Stella, o posicionamento do curso confirma a qualidade do corpo docente e discente e gera uma responsabilidade grande para o curso em manter o mesmo nível de ensino e de desenvolvimento dos conteúdos.

Para o pró-reitor de Graduação, Eduardo Magrone, o Enade é um indicador focado no aluno e reflete a estrutura atual da UFJF, com melhores laboratórios, bibliotecas, salas de ensino, mais estudante e atenção para a pesquisa. Conforme o professor, o exame, por outro lado, demonstra que as instituições de ensino superior têm agregado mais valor à produção de conhecimento específico do que à formação generalista, acadêmica, quando comparadas a notas desses temas nas provas.

Enade 2011

Neste ano, 19 cursos da UFJF serão avaliados: Arquitetura e Urbanismo, Bacharelado em Ciências Humanas, Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Exatas, Ciências Sociais, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Engenharia Sanitária e Ambiental, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Química. Nos últimos anos, as provas foram em novembro.

Compartilhe: