UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

Benchmarking – A Receita do Sucesso

Você está em: Textos e Vídeos > Benchmarking - A Receita do Sucesso

As organizações procuram sempre uma excelência nos seus produtos e que estes possam entrar no mercado competitivo e se destacar e para que isso aconteça algumas empresas utilizam a comparação externa pra atingir essa meta. Essas organizações utilizam o benchmarking que é um “método utilizado para comparar o desempenho de algum processo, prática de gestão ou produto da organização com o de um processo, prática ou produto similar, que esteja sendo executado de maneira mais eficaz e eficiente, na própria ou em outra organização, entender as razões de desempenho superior, adaptar à realidade da organização e implementar melhorias significativas.” (Benchmarking: Relatório do Comitê Temático, FNQ).

O benchmarking é um processo contínuo e um trabalho intensivo, que requer tempo e disciplina, mas que fornece informações preciosas através de uma boa investigação.

Existem alguns tipos de benchmarking que são quanto ao âmbito e quanto ao objeto. Quanto ao âmbito existe o interno, que consiste em identificar melhores práticas em um setor e disseminá-las aos demais setores da própria organização e o externo que consiste em identificar as melhores práticas das organizações consideradas referências num processo específico. E quanto ao objetivo existe o benchmarking competitivo que visa medir funções, métodos e características básicas de produção comparadas as concorrentes e tem também o benchmarking funcional que é baseado em uma função específica, que permite a comparação de ramos distintos e por último o benchmarking genérico que é baseado em um processo relacionado a várias funções da organização e pode ser encontrado na maioria das organizações.

(Metodologia de Benchmarking- Grupos de Bechmarking- Instituto Nacional de Desenvolvimento e Excelência)

 

O Comitê Temático sobre Benchmarking da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) desenvolveu uma metodologia em 5 passos:

 

Fase1: Planejar

Fase 2: Coletar

Fase 3: Analisar

Fase 4: Adaptar

Fase 5: Melhorar

 

 

Planejar o Estudo

 

Os resultados do estudo de Benchmarking dependem de uma escolha bem feita dos parceiros, ou seja, das entidades ou organizações que vão ser utilizadas como referenciais na comparação.

O primeiro passo para uma escolha adequada dos parceiros é definir critérios segundo os quais as entidades ou organizações podem se tornar comparáveis, considerando sempre o objeto e o objetivo do estudo de Benchmarking.

 

Coletar os Dados

A primeira etapa para a coleta de dados é a Definição dos métodos de coleta dos dados. Portanto é necessário um planejamento prévio de forma a definir as possíveis fontes de informações e os instrumentos de coleta a serem utilizados, bem como um cronograma geral para a realização dessa etapa. E a segunda etapada  para a coleta de dados é referente aos resultados e práticas. Nesta etapa, deve-se concentrar na realização da visita aos parceiros. A preparação de um questionário completo, contendo as perguntas essenciais sobre o processo do parceiro, representa um grande passo na coleta dos dados.

 

Analisar os Dados

 

Esta fase tem por objetivo identificar os diferenciais que existem, em termos de desempenho do objeto do estudo, entre a entidade e o parceiro de Benchmarking e, principalmente, compreender as razões pelas quais esses diferenciais existem. É necessário que a equipe esteja preparada para tirar conclusões e fazer estimativas, exercitando ao máximo a sua capacidade de análise.

 

Adaptar as práticas

 

Adaptar pressupõe que haja um exame das razões dos diferenciais do parceiro, que se identifiquem as áreas que precisam ser adequadas à realidade da entidade, com base nas suas necessidades específicas e na sua cultura, e buscar alternativas para efetivamente incorporar esses diferenciais desenvolvendo um plano para implementar melhorias que gerem desempenho igual ou melhor do que o do parceiro.

Caso a decisão tenha sido favorável a equipe deverá elaborar um plano detalhado de implementação e definir metas concretas e realistas para os indicadores de desempenho.

 

Melhorar as práticas

Para essa etapa é importante que vários setores estejam envolvidos, é muito importante o comprometimento pessoal da presidência como força propulsora para a viabilização e a própria gestão da mudança, na qual se buscará reduzir as naturais resistências das pessoas.

Quando a opção é pela implementação recomenda-se observar alguns requisitos importantes: Definição da equipe de implementação, depois implementar os planos e Monitorar os Resultados decorrentes dos Planos e por fim Reavaliar as Metas a Partir de Novos Referenciais.

 

Estas fases, incorporam o conceito do PDCA que são regularmente citadas na  bibliografia metodologias que apresentam um conjunto de etapas comuns, razoavelmente bem  modeladas pelo ciclo da melhoria contínua de Deming: Planear (Plan), Executar (Do), Analisar  (Check) e Corrigir (Act), nas quais se destacam os seguintes  aspectos: planeamento do estudo, desenvolvimento do modelo de  benchmarking, selecção de  parceiros, análise de dados e implementação de melhorias.( Laura MM Ribeiro, Aplicação do benchmarking na indústria de manufactura. Desenvolvimento de uma metodologia para empresas de fundição)

 

Portanto, as empresas percebem que a competitividade mundial aumentou, acentuadamente nas últimas décadas, obrigando-as à um contínuo aprimoramento de seus processos, produtos e serviços, visando oferecer alta qualidade com baixo custo e assumir uma posição de liderança no mercado onde atua. Na maioria das vezes o aprimoramento exigido, sobretudo pelos clientes dos processos, produtos e serviços, ultrapassa a capacidade das pessoas envolvidas, por estarem elas presas aos seus próprios paradigmas.

A empresa interessada em implantar benchmarking deve analisar os seguintes fatores: ramo, objetivo, amplitude, diferenças organizacionais e custos, antes da definição ou aplicação do melhor método, pois cada empresa individualmente tem as suas necessidades que devem ser avaliadas antecipadamente à aplicação do processo.

 

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

 

FPNQ, Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade: Benchmarking –

Relatório do Comitê Temático. Qualitymark.

Fundação Nacional de Qualidade, Caderno de Excelência, informações e conhecimento, 2007.

INDE, Instituto Nacional de Desenvolvimento e Excelência, Metodologia de Benchmarking- Grupos de Bechmarking

Laura MM Ribeiro, Aplicação do benchmarking na indústria de manufactura. Desenvolvimento de uma metodologia para empresas de fundição